Polícia turca reforça segurança para visita de Bento XVI

A polícia de Istambul promete reforçar a segurança na cidade turca para receber a visita do papa Bento XVI, na próxima semana. De acordo com Celalettin Cerrah, comandante da polícia turca, a expectativa em torno da chegada do sumo pontífice é alta exatamente porque acredita-se que muitos muçulmanos devem protestar contra declarações do líder religioso que enfureceram a comunidade muçulmana e reacenderam uma onda de violência sectária, em especial no Oriente Médio. "A polícia não vai intervir na demonstração da opinião de manifestantes, desde que ela seja pacífica. No entanto, vai fazer o que for necessário para reforça a segurança do papa", afirmou Cerrah, nesta quinta-feira, durante uma entrevista coletiva. "Se for necessário, podemos deslocar reforços vindos de cidades próximas", acrescentou o chefe da polícia. Ao mesmo tempo em que o chefe da polícia anunciava o reforço da segurança em Istambul, um promotor público ordenou a prisão de 39 turcos nacionalistas extremos, um dia após eles ocuparem brevemente o prédio da igreja de Hagia Sophia - uma das maiores igrejas do mundo com mais de 1.000 anos de idade, transformada em mesquita em 1453 e atualmente um museu - para protestar contra a visita papal, a primeira de Bento XVI a uma nação muçulmana.

Agencia Estado,

24 Novembro 2006 | 04h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.