Policiais espancam esposa de oficial comunista na China

Ela foi confundida com pessoa que faria reclamações às autoridades; policiais foram punidos.

BBC Brasil, BBC

21 de julho de 2010 | 18h45

Três policiais chineses foram punidos pelo espancamento da esposa de um membro do Partido Comunista, depois de pensarem, por engano, que ela era alguém comum que tinha ido ao prédio do partido fazer uma reclamação.

Segundo a imprensa chinesa, Chen Yulian tentou entrar no prédio do Partido Comunista em Wuhan, na província de Hubei (centro-leste do país), onde seu marido ocupa um cargo importante.

Yulian teria sido espancada por mais de 15 minutos e então ficou detida até mesmo depois de ter sua identidade confirmada.

As autoridades afirmam que Chen Yulian teve apenas ferimentos leves. No entanto, outras informações indicam que, quase um mês depois do espancamento, ela ainda não consegue andar normalmente.

Mal-entendido

Jornais chineses disseram que os três policiais não usavam fardas e tinham como missão justamente lidar com as pessoas que chegassem com alguma reclamação ao prédio do Partido Comunista.

Um chefe local do Partido Comunista afirmou que o incidente todo não passou de um mal-entendido.

Internautas chineses afirmaram que a identidade de Yulian não deveria importar e que nenhuma pessoa que leva uma reclamação às autoridades deveria ser submetida à violência.

No entanto, Chen Yulian não estava apenas visitando seu marido no prédio do Partido Comunista em Wuhan. Ela também queria apresentar uma reclamação, ligada à morte de sua filha.

Mas ela não podia apresentar sua queixa às autoridades diretamente devido ao emprego de seu marido.

O marido de Chen Yulian seria responsável justamente por manter a ordem entre os que levam reclamações às autoridades.

A editora da BBC para a Ásia Vivien Marsh diz que o caso destaca o tratamento brutal que muitos chineses enfrentam ao levar reclamações às autoridades.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.