Policiais europeus querem diálogo com manifestantes

Depois dos distúrbios registrados na cúpula do G-8 em Gênova, o sindicato europeu dos policiais, com sede em Berlim, solicitou que, em futuras cúpulas internacionais, seja reforçado o diálogo com os grupos de manifestantes antiglobalização pacíficos e criticou o comportamento da polícia italiana.Segundo o presidente do sindicato europeu, Hermann Lutz, "é necessário encontrar soluções junto aos que respeitam os direitos fundamentais". "Nenhuma democracia pode suportar o fato de que delinqüentes autônomos decidam onde a democracia possa ser desenvolvida, talvez, um dia, apenas no topo do Monte Everest", afirmou ele.Ao mesmo tempo, Lutz criticou o comportamento da polícia italiana, que, segundo ele, contribuiu com a escalada da violência em Gênova por ter adotado uma tática "amplamente militar".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.