Sam Hodgson/The New York Times
Sam Hodgson/The New York Times

Policiais são assassinados em ataques-surpresa no Estado americano de Iowa

O suspeito, Scott Michael Greene, de 46 anos, está em custódia policial após ter sido preso pela Patrulha Estadual

O Estado de S. Paulo

02 de novembro de 2016 | 18h00

WASHINGTON - Dois policiais foram assassinados na madrugada desta quarta-feira, 2, em ataques-surpresa quando estavam em seus veículos, em dois incidentes separados na cidade de Des Moines (Iowa), no centro dos EUA, informaram autoridades. "Os dois agentes morreram. Os disparos parecem ter sido em ataques-surpresa", indicou o Departamento de Polícia de Des Moines, em comunicado.

O suspeito, Scott Michael Greene, de 46 anos, está em custódia policial após ter sido preso pela Patrulha Estadual de Iowa, informou o porta-voz da Polícia de Urbandale, o sargento Chad Underwood, ao jornal local Des Moines Register.

Segundo informação judicial obtida pelo mesmo jornal, o suspeito tem vários antecendentes em seu histórico, incluídos resistência à autoridade para o registro de armas e ameaça de morte a um homem em um estacionamento.

Um dos policiais foi achado morto por volta da 1h local (4h, em Brasília) em Urbandale, um subúrbio de Des Moines, enquanto o corpo do segundo foi achado meia hora depois, em uma área próxima na cidade, capital do Estado de Iowa.

"Não parece haver qualquer relação entre esses agentes e o covarde que disparou contra eles o fez quando estavam em suas viaturas", disse o sargento Paul Parizek, porta-voz da Polícia de Des Moines, em entrevista coletiva.

Os agentes, cujas identidades não foram divulgadas, "foram mortos enquanto estavam sentados em seus carros", afirmou Parizek, ao ressaltar que "há um perigo claro e presente para os policiais neste momento" nos EUA.

Em julho, os EUA viveram vários ataques contra policiais em aparente represália pelos casos de violência policial contra cidadãos negros. 

A campanha da candidata democrata à Casa Branca, Hillary Clinton, cancelou hoje um evento para mobilizar o voto que tinha previsto com o candidato a vice-presidente, Tim Kaine, o ex-presidente Bill Clinton e o cantor Ben Harper em um clube social de Des Moines "devido ao trágico fato". / EFE 

Tudo o que sabemos sobre:
WASHINGTON

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.