Policiais voltam ao trabalho na Bolívia

A polícia voltou ao trabalho na noite desta quinta-feira na Bolívia, depois de dois dias de violentos protestos de rua que deixaram 22 mortos e um grande número de edifícios incendiados e saqueados em La Paz, a capital do país mais pobre da América do Sul.Os policiais foram recebidos com festa pela população. Os distúrbios começaram depois de o governo do presidente Gonzalo Sánchez de Lozada baixar um pacote que, entre outras medidas, aumentou de 7% para 13% a alíquota do imposto a ser pago por pessoas com salário mensal um pouco acima de US$ 100. Assim que começaram os confrontos entre policiais e o Exército, a medida foi revogada, mas a confusão persistiu.Ainda na tarde desta quinta-feira bandos de saqueadores invadiram as ruas da capital, para onde foram destacados tanques e 400 soldados, que dispararam gás lacrimogêneo e balas de borracha. Ao mesmo tempo, milhares de manifestantes fizeram uma passeata, convocada por sindicatos, exigindo a renúncia de Sánchez de Lozada.Entre os 22 mortos estão pelo menos nove policiais e uma enfermeira da Cruz Vermelha. Outras 102 pessoas ficaram feridas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.