Irwin Thompson / The Dallas Morning News / AP
Irwin Thompson / The Dallas Morning News / AP

Policial branco mata mulher negra na casa dela no Texas

Atatiana Jefferson, de 28 anos, brincava com seu sobrinho quando ouviu um barulho no jardim e foi até a janela; agente gritou ‘Mãos para cima’ e atirou quase imediatamente

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de outubro de 2019 | 06h41

WASHINGTON - Um policial branco foi denunciado nessa segunda-feira, 14, por matar uma mulher negra que estava em sua própria casa em Fort Worth, no Estado americano do Texas, durante uma operação de rotina.

O chefe interino da polícia de Fort Worth, Ed Kraus, disse que o nome do policial é Aaron Dean e prometeu "uma investigação exaustiva, transparente e rápida". "Minha intenção era me encontrar com ele e demiti-lo do departamento de polícia de Fort Worth, mas o oficial apresentou sua renúncia esta manhã."

A família de Atatiana Jefferson, de 28 anos, pediu em entrevista coletiva que a polícia de Fort Worth deixasse o caso e que o suspeito fosse acusado "rapidamente".

A tragédia aconteceu menos de duas semanas após a sentença de 10 anos de prisão de uma policial branca que, em 2018, matou um vizinho negro por uma confusão em Dallas, a cerca de 80 km de Fort Worth.

Como tudo começou

Caso começou com uma ligação para a polícia, na sexta-feira à noite, de um homem preocupado depois de ver a porta do vizinho aberta por várias horas.

Dois agentes chegaram ao local, percorreram a casa e "observaram uma pessoa parada perto de uma janela", segundo um comunicado da polícia. "Ao perceber uma ameaça, um policial pegou sua arma de serviço e disparou", informa o documento.

O policial "não anunciou que era policial antes de atirar", ressaltou o tenente Brandon O'Neil.

Vítima abriu porta da casa para refrescar

Atatiana estava brincando com seu sobrinho de 8 anos quando ouviu um barulho no jardim e se aproximou da janela para ver o que estava acontecendo, disse o advogado da família dela, Lee Merritt, acrescentando que ela abriu a porta para refrescar a casa.

Ela morreu antes do socorro chegar. Graduada em Biologia, Atatiana era funcionária em uma empresa farmacêutica.

A polícia de Fort Worth postou um vídeo da intervenção, no qual agentes são vistos checando a área com lanternas. Vendo movimento em uma janela, um deles grita "Mãos para cima, me mostre suas mãos" e atira quase imediatamente. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.