Reprodução
Reprodução

Policial dos EUA acusado de agredir aluna em sala de aula é demitido

A garota, uma estudante negra, está com o braço engessado e tem ferimentos na nuca; o homem, um policial branco, já foi acusado de comportamento agressivo e preconceito anteriormente

O Estado de S. Paulo

28 Outubro 2015 | 15h53

COLUMBIA, EUA - O policial branco que agrediu uma estudante negra em sala de aula em Columbia, na Carolina do Sul, Estados Unidos, foi demitido nesta quarta-feira, 28. Segundo relatório interno da polícia, a atitude do policial Ben Fields foi inapropriada e não corresponde com o treinamento recebido.

Na segunda-feira, na escola Spring Valley, o policial atirou a aluna no chão, arrastando-a para frente da sala de aula, onde o policial ordenou que ela colocasse as mãos para trás, algemando-a. Segundo o xerife do condado de Richland, Leon Lott, o que Fields fez "não foi apropriado e não deve ser utilizado para o cumprimento da lei".

Vídeos gravados pelos estudantes e depoimentos de testemunhas mostram que a aluna desobedeceu a professora e se recusou a sair da sala. "Ela foi desrespeitosa", disse o xerife. Mas ele completou, "o delegado Ben Fields errou na segunda-feira".

O governo americano também abrirá uma investigação contra Fields sobre direitos civis, já que o delegado é branco e a aluna é negra. Segundo o advogado Todd Rutherford, que representa a garota, ela está com o braço engessado e tem ferimentos na nuca.

Ben Fields já foi acusado de comportamento agressivo e preconceito anteriormente. Ele e mais dois policiais estão sendo processados por irregularidades. O próximo julgamento será em janeiro e envolve um ex-aluno da escola Spring Valley que alega que Fields é "perigoso e injusto e acusa alunos afro-americanos de serem membros de gangues criminosas", como consta no processo. O policial nega essa e as outras acusações.

Robert Garfield, advogado de Ben Fields, não quis comentar o assunto na terça-feira. Na quarta-feira, não foi possível contactá-lo. / DOW JONES NEWSWIERES 

Mais conteúdo sobre:
EUA Columbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.