Policial faz bico trabalhando de prostituta

Uma policial neozelandesa da cidade de Auckland escapou de ser demitida nesta quinta-feira apesar de ter trabalhado como prostituta por um período no ano passado. Seu nome não foi revelado e ela teria assumido o segundo emprego por atravessar dificuldades financeiras, e recebeu somente uma advertência. A prostituição é legal no país desde 2003. "A vice-comissária Lyn Provost considerou a natureza do segundo emprego incompatível com a função e a policial está recebendo aconselhamento", disse um porta-voz da polícia.Faturamento Ele disse que ela teria exercido a prostituição por pouco tempo. A polícia teria descoberto suas atividades no mês passado.Um porta-voz da Associação das Prostitutas da Nova Zelândia disse que, dependendo do bordel onde trabalhava, ela poderia ter ganhado cerca de $NZ 500 (R$ 680), em uma noite de muito trabalho.Ron Mark, porta-voz do partido político conservador e de oposição, First, disse que, embora a prostituição seja legal, criminosos ainda atuam em bordéis e a policial se colocou em uma posição vulnerável."Conheço muitas policiais que sofrem com o custo de vida mas nem por isso se tornam prostitutas", disse ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.