Policial que fazia a segurança da ilha é encontrado morto

Pai de atirador diz que está ''em choque'' e conta que descobriu pela internet que filho foi autor do massacre

Andrei Netto, O Estado de S.Paulo

25 de julho de 2011 | 00h00

OSLO

A polícia norueguesa informou ontem que um dos mortos na tragédia da Ilha de Utoya é um policial, que havia sido contratado pelo Partido Trabalhista para fazer a segurança no acampamento de jovens. Sveinung Sponheim, chefe da polícia, confirmou a informação, mas não deu a identidade do policial.

Ontem, Jens Breivik, pai biológico do homem que planejou o duplo atentado que matou 93 pessoas na Noruega, disse ter ficado em "choque" ao descobrir a fotografia do filho nos sites de notícia.

"Estava lendo as notícias na internet e, de repente, vi o nome dele e sua fotografia. Foi um choque, nunca imaginei", disse Jens ao jornal norueguês Verdens Gang. O pai é um diplomata e vive em Paris. Desde 1995 ele afirma não ter contato com o filho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.