Policial sul-africano deixa presidência da Interpol

O chefe de polícia sul-africano, JackieSelebi, renunciou à presidência da Interpol, enquanto enfrentadenúncias de corrupção, disse a organização policialinternacional neste domingo. A Interpol afirmou ter recebido uma carta de Selebi na qualdeixou claro que sua decisão foi "tomada no melhor interesse daInterpol e com respeito à comunidade global destinada aocumprimento da lei à qual presta seus serviços". A organização também elogiou Selebi por seu trabalho. O presidente sul-africano, Thabo Mbeki, deu uma licençaprolongada para Selebi no sábado, um dia depois promotoresterem dito que iriam processar o chefe de polícia porcorrupção, fraude, lavagem de dinheiro e extorsão. Selebi negouqualquer ação ilegal.Uma cópia da acusação de Selebi, que foi divulgada à imprensapelos promotores, possui diversas acusações que incluem orecebimento de pagamentos de seu amigo Glenn Agliotti, umcondenado por tráfico de drogas acusado de participar doassassinato do magnata dos minérios sul-africano em 2005. A acusação alega que entre 2000 e 2005, Selebi recebeu aomenos 1,2 milhões de randes (175,5 mil dólares) de Agliotti eseus associados, incluindo 30 mil randes de Agliotti um ou doisdias depois do assassinato do magnata Brett Kebble.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.