Política do Alasca será vice de McCain

Republicano surpreende e escolhe governadora Sarah Palin, de 44 anos e perfil conservador, para compor chapa

Patrícia Campos Mello, DENVER, EUA, O Estadao de S.Paulo

30 de agosto de 2008 | 00h00

O candidato republicano à presidência dos EUA, John McCain, anunciou ontem Sarah Palin - governadora do Alasca, de 44 anos e mãe de cinco filhos - como a vice em sua chapa. A escolha surpreendeu a maioria dos analistas, mas trouxe novo fôlego à candidatura de McCain, que precisava de um impulso após o sucesso da Convenção Democrata. "Ela era exatamente o que eu precisava", disse ontem o republicano em Dayton, Ohio, ao anunciá-la como vice. Acompanhe online as notícias sobre eleições nos Estados Unidos Confira especial com análises, pesquisas, plataforma Veja fotos de Sarah Palin, a vice de John McCain A razão mais óbvia para a indicação de Sarah - com quem McCain se encontrou apenas uma vez - foi ganhar o voto feminino, especialmente das eleitoras de Hillary Clinton, que acreditam que a senadora democrata foi vítima de machismo nas primárias do partido. Ontem, ao discursar pela primeira vez como vice de McCain, Sarah elogiou duas democratas: Geraldine Ferraro, vice na chapa do democrata Walter Mondale, em 1984, e a própria Hillary. A juventude de Sarah também foi um dos principais motivos por trás da indicação, já que McCain completou ontem 72 anos.A escolha foi comemorada pela ala conservadora do partido, que temia que McCain escolhesse o independente Joe Lieberman ou o ex-governador da Pensilvânia Tom Ridge, que têm posições liberais. Sarah é uma evangélica devota, firme opositora do aborto e do casamento entre homossexuais. "A governadora Sarah é uma grande defensora das políticas pró-família, que empolgam os conservadores", disse o presidente da organização ultraconservadora Family Research Council Action, Tony Perkins.Para Michael Fauntroy, professor da George Mason University, de Virgínia, a escolha de Sarah servirá para apaziguar a ala conservadora do partido e mudará a agenda da campanha. "Ela traz para o centro da discussão a ética no governo e os cortes de gastos públicos", disse Fauntroy ao Estado.Mas a escolha de Sarah também é arriscada. A governadora do Alasca é uma novata na política. Ela assumiu o governo em dezembro de 2006. Antes disso, foi prefeita de Wasilla, uma cidadezinha de 9 mil habitantes perto de Anchorage. Sua inexperiência pode derrubar um dos principais argumentos de McCain contra Obama, o de que ele não está pronto para governar o país. "McCain escolheu a ex-prefeita de uma cidade de 9 mil habitantes, sem nenhuma experiência em política externa, a um passo da presidência", disse Bill Burton, porta-voz de Obama. O estrategista democrata Paul Begala criticou a escolha de Sarah na CNN, dizendo que ela é "uma governadora de primeiro mandato em um Estado que tem mais rena que gente".Sarah tem ainda outro problema no currículo. Ela está sob investigação por ter pressionado funcionários a demitir um membro da polícia rodoviária que foi casado com sua irmã.A escolha inusitada de McCain dominou ontem os noticiários do dia, roubando os holofotes de Obama, que fez seu grande discurso de indicação na quinta-feira à noite, diante de 85 mil pessoas. Para vencer a corrida pela vice-presidência, Sarah derrotou políticos de peso, como o ex-governador de Massachusetts Mitt Romney e o senador independente Joe Lieberman. Qualquer que seja o resultado das urnas em novembro, será histórico para os americanos. Pela primeira vez os EUA terão um presidente negro ou uma vice-presidente mulher. FRASESJohn McCainCandidato republicano à Casa Branca "Ela era exatamente o que eu precisava"Bill BurtonPorta-voz de Obama"McCain pôs a ex-prefeita de uma cidade de 9 mil habitantes, sem experiência em política externa, a um passo da presidência"Paul BegalaEstrategista democrata "Ela é uma governadora de primeiro mandato em um Estado que tem mais rena que gente"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.