Política "errônea" dos EUA causou atentados, diz Taleban

Numa "mensagem ao povo americano", divulgada hoje pela agência de notícias afegã AIP, o mulá Mohamed Omar, líder supremo do Taleban - milícia que controla o Afeganistão -, declarou que a série de ataques do dia 11 contra os EUA teve raiz na "política errônea" de Washington em relação aos povos muçulmanos."O povo americano deve saber que os tristes incidentes e tragédias que sofreram recentemente são o resultado das políticas equivocadas de seu governo", diz o comunicado. "Seu governo comete toda sorte de atrocidades nos países muçulmanos e em lugar de apoiá-lo, os americanos deveriam convocar seus governantes a rever essas políticas más e cruéis.""Mas a vingança por isto se dirige contra o Afeganistão e (o governo americano) prepara-se para um ataque contra o Afeganistão", prossegue Omar. "Qual será o resultado disso?""Vocês aceitam tudo o que o seu governo diz, seja verdadeiro ou falso", acrescenta, referindo-se à acusação de Washington ao milionário saudita refugiado no Afeganistão, Osama bin Laden. "Vocês não têm seu próprio pensamento? Poderia Osama bin Laden realizar esse ato nos EUA?"Omar e o restante da cúpula do Taleban argumentam que Bin Laden vivia no Afeganistão sem comunicação com o exterior - supostamente sem telefones celulares, fax e computadores -, o que tornaria impossível para ele coordenar uma ataque tão sofisticado. Os mulás do Taleban também afirmam não saber, desde domingo, o paradeiro de Bin Laden.Os EUA exigem do regime afegão a entrega incondicional de Bin Laden - "sem negociações ou discussões", nas palavras do presidente americano, George W. Bush - para evitar um ataque de grande escala ao Afeganistão. Oficialmente, o conselho de clérigos do Taleban decidiu na semana passada recomendar a saída de Bin Laden do país "voluntariamente".Em Washington, o governo americano não respondeu às declarações de Omar. O porta-voz da Casa Branca, Ari Fleischer, reiterou que o Afeganistão é apontado como alvo de uma eventual retaliação militar americana por causa do apoio que dá a Bin Laden e seu grupo terrorista, a Al Qaeda (A Base). "Não há dúvidas de que o Taleban está abrigando terroristas", disse Fleischer, acrescentando que o objetivo da campanha militar não é derrubar governos estrangeiros. "O objetivo é livrar as pessoas do terrorismo. A palavra ´derrubar´ tem a conotação política de substituir um governo por outro e a meta não é essa."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.