Político australiano é condenado por abusar de menores

Sentença é de nove anos de prisão; ele foi condenado ainda por fornecer drogas ilícitas para as vítimas

Efe,

21 de maio de 2008 | 04h10

Um importante político do partido governante da Austrália foi condenado nesta quarta-feira, 21, a um mínimo de nove anos de prisão por 30 acusações de abusos de menores e por fornecer drogas ilícitas a suas vítimas. Milton Orkopoulos, ex-ministro para Assuntos Aborígines do estado de Nova Gales do Sul, foi declarado culpado pelo júri do tribunal do distrito de Newcastle. O juiz ditou a sentença quase dois meses depois do fim do julgamento, no qual os membros do júri consideraram Orkopoulos, de 50 anos, culpado de ter relações sexuais com três menores de idade, que ainda receberam do político maconha e heroína entre 1995 e 2006. Segundo a acusação, o ex-ministro conheceu dois dos menores em eventos do Partido Trabalhista, liderado pelo primeiro-ministro Kevin Rudd, e manteve relações sexuais com um deles em seu escritório. O juiz disse que Orkopoulos usou sua posição de autoridade e seu poder para conquistar a confiança dos jovens e levou um deles ao consumo de heroína, ato que descreveu como um crime "muito grave". Orkopoulos assumiu o cargo de ministro para Assuntos Aborígines em 2005 e foi obrigado a renunciar em 2006 pelo chefe de seu Governo, Morris Iemma, quando foram apresentadas as acusações.

Tudo o que sabemos sobre:
Austráliaabuso de menores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.