Político chinês é condenado à morte por corrupção, diz agência de notícias

Zhou Jianhua presidiu o Comitê Permanente da Assembleia Popular em Xinyu

O Estado de S. Paulo,

23 de janeiro de 2014 | 09h59

PEQUIM - Um funcionário municipal chinês foi condenado à morte, com um adiamento de dois anos, por aceitar mais de US$ 1 milhão em suborno, informou a agência oficial de notícias Xinhua nesta quinta-feira, 23, destacando os esforços do governo para reprimir a corrupção.

Zhou Jianhua presidiu o Comitê Permanente da Assembleia Popular da cidade de Xinyu, na província de Jiangxi, sul da China, de acordo com o Tribunal Superior Popular de Jiangxi. A agência disse que Zhou aceitou 10,2 milhões de iuanes (US$ 1,6 milhão), três barras de ouro e objetos avaliados em 236 mil iuanes (US$ 38.991 mil). No momento, um tribunal de instância superior reexamina o caso, acrescentou a Xinhua.

O presidente chinês, Xi Jinping, fez da luta contra a corrupção uma prioridade desde que tomou posse em março passado, e alertou, como outros antes dele, que a corrupção ameaça a própria sobrevivência do Partido Comunista Chinês. Mas a repressão do governo aos ativistas que pedem a autoridades que divulguem suas riquezas expõe a ambivalência de Pequim em acabar com a corrupção.

A China conduz há dez meses uma campanha contra o "Movimento Novos Cidadãos", que defende uma mudança no sistema de dentro para fora, inclusive pressionando autoridades a divulgarem seus ativos. Seu principal líder, Xu Zhiyong, foi julgado nesta semana, no mais importante julgamento de um dissidente nos últimos dois anos./ REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Chinacorrupção

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.