Político do partido governista é preso na Espanha

O ex-tesoureiro do Partido Popular da Espanha, Luis Barcenas, foi preso na noite desta quinta-feira, após um juiz ordenar a detenção sem direito a fiança, alegando que ele poderia fugir para o exterior ou prejudicar provas documentais.

AE, Agência Estado

27 de junho de 2013 | 19h33

Barcenas, que comandou as contas do Partido Popular por quase duas décadas, já tinha perdido o passaporte em fevereiro e era obrigado a se apresentar à Justiça a cada 15 dias. Mesmo assim, o juiz Pablo Ruz determinou a prisão dele hoje, afirmando que essas precauções eram insuficientes em função da severidade das acusações e do dinheiro que ele supostamente tem em contas no exterior.

Segundo as investigações, Barcenas, que também já foi senador, tem 47 milhões de euros em contas na Suíça. O político nega qualquer irregularidade e disse que ganhou esse dinheiro com investimentos que não tinham nenhuma relação com sua posição no Partido Popular. O advogado de Barcenas, Alfonso Trallero, disse que vai recorrer da prisão, argumentando que não existe risco dele fugir do país.

O caso tem provocado alvoroço no cenário político espanhol. O Partido Socialista, maior força da oposição, disse que as acusações são "suficientemente graves e alarmantes" para justificar uma explicação do Partido Popular, do primeiro-ministro Mariano Rajoy. Os populistas não comentaram sobre a prisão de Barcenas, afirmando apenas que o partido respeita todas as decisões judiciais. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
Espanhapolíticaprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.