Político envolvido com ''''paras'''' poderá ficar preso em casa

A Promotoria Geral da Colômbia concedeu ontem o benefício de prisão domiciliar para o ex-senador Álvaro Araújo, atualmente preso em Bogotá por ligações com os paramilitares. Araújo é irmão da ex-chanceler María Consuelo Araújo, que pediu demissão em fevereiro depois que seu irmão e seu pai, o ex-Ministro da Agricultura Álvaro Araújo Nogueira, foram acusados de ligações com o grupo Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC). De acordo com fontes, o ex-senador, um dos principais envolvidos no escândalo conhecido na Colômbia como "Parapolítica", sofre de uma grave doença cardíaca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.