Político foi condenado por corrupção e tráfico de influência

Advogado e economista filiado ao Partido Conservador Colombiano, Fernando Londoño Hoyos foi ministro do Interior de 2002 a 2004, durante o primeiro mandato do presidente Álvaro Uribe. Londoño renunciou ao cargo depois que surgiram denúncias de que ele comprou ações da companhia de gás Invercolsa utilizando documentos falsos - as ações teriam sido repassadas para uma empresa de fachada do Panamá e jamais foram devolvidas.

O Estado de S.Paulo

16 Maio 2012 | 03h01

Em novembro de 2004, a Justiça colombiana suspendeu por 15 anos os direitos políticos de Londoño, condenado por abuso de autoridade e tráfico de influência em favor de um consórcio italiano que realizava obras na estrada que liga Bogotá a Villavicencio.

Apesar dos frequentes escândalos de corrupção, o ex-ministro conservador, de 78 anos, tornou-se colunista dos jornais El Tiempo, El Colombiano, La República, El País (Cali) e El Espectador (Bogotá). Londoño também é diretor de um programa na rádio Cadena Súper.

O ex-ministro saía justamente da emissora de rádio, ontem pela manhã, quando seu carro foi atingido pela explosão de um ônibus na zona norte da capital colombiana. / AP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.