Político oficialista é morto na Espanha

Manuel Gimenez Abad, um dirigente do oficialista Partido Popular (PP), foi assassinado a tiros neste domingo na cidade espanhola de Zaragoza. Embora nenhum grupo tenha assumido responsabilidade, a polícia atribuiu o atentado ao grupo separatista basco ETA. Segundo o porta-voz partidário, Mar Elosua, Abad, de 50 anos, era senador e presidente do braço do PP na região de Aragão.Ele recebeu dois impactos de bala quando caminhava pela região central de Zaragoza em direção a um estádio de futebol. O ataque ocorreu às 18h30 (horário local).A polícia encontrou vários cartuchos de 9 mm no local, arma preferida do ETA. O crime ocorreu apenas uma semana antes das eleições parlamentais no País Basco. São atribuídas ao ETA mais de 800 mortes desde que o grupo iniciou sua luta armada, em 1968, exigindo a independência basca, região localizada no norte da Espanha e sudoeste da França. Com o ataque deste domingo, cresce para 30 o número de assassinatos atribuídos ao ETA desde que o grupo abandonou uma trégua de 14 meses em dezembro de 1999. A maioria das vítimas é pertencente ao PP.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.