Político que teve diário sexual publicado é preso na China

Han Feng foi exonerado do cargo em fevereiro por causa da repercussão da publicação

Efe,

14 de março de 2010 | 05h56

O político comunista Han Feng, que se tornou celebridade este ano na China depois de publicarem na internet seu diário com experiências sexuais, foi detido por suposto tráfico de influência, informa neste sábado a imprensa oficial chinesa.

 

Segundo a agência Xinhua, o funcionário de 53 anos do Escritório de Tabacos da região de Guangxi (sul), é acusado de ter obtido cerca de US$ 70 mil e um apartamento em troca de um contrato para a construção e reforma de vários escritórios governamentais.

 

Han foi exonerado do cargo em fevereiro por causa da repercussão que atingiu seu "diário sexual", publicado na internet sem seu conhecimento.

 

No diário, Han contava suas relações sexuais com cinco mulheres, quatro delas colegas de trabalho, e também revelava ter recebido subornos. Mas foi o conteúdo "picante" de suas memórias que ganhou fama no país.

 

A publicação do diário, segundo a imprensa chinesa, pode ter sido uma vingança de alguma das mulheres nomeadas por ele, cujos nomes e sobrenomes também apareciam no texto.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Chinapolíticodiário sexualinternet

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.