Políticos alemães cobram providências após denúncias sobre agência de espionagem

Frankfurt, 03/05/2015 - Diversos políticos importantes da Alemanha cobraram neste domingo que sejam tomadas providências, após denúncias de que o serviço de inteligência nacional ajudou agências do governo dos EUA a espionar outros chefes de governo da Europa. "As comissões do Parlamento precisam ser significativamente fortalecidas", disse Eva Hogl, do Partido Social Democrata, que integra a base de apoio da chanceler Angela Merkel.

Estadão Conteúdo

03 de maio de 2015 | 14h40

Em uma entrevista para o website Spiegel Online, Eva defendeu que as comissões do Parlamento precisam de mais recursos e funcionários. Além disso, ela quer a criação de uma autoridade integrada de controle para supervisionar os trabalhados da agência de inteligência, conhecida pela sigla BND.

Na semana passada, uma comissão parlamentar criada para investigar os casos de espionagem da Agência Nacional de Segurança dos EUA (NSA, na sigla em inglês) divulgou documentos que mostram o envolvimento da BND. A agência alemã teria usado instalações na Bavária para investigar milhares de telefones e sites em nome da NSA.

Thomas Strobl, do Partido Democrata Cristão, o maior da Alemanha, disse em entrevista à revista semanal Welt am Sonntag que um supervisor da BND deveria ser criado no Parlamento, com poder de obter qualquer informação sobre as atividades da agência. Outros políticos querem novas regras para diminuir o poder da BND. "Nós precisamos de regras claras sobre o que a BND pode fazer", afirmou Konstantin von Notz, do Partido Verde. Ele chegou a pedir que Merkel vá ao Parlamento para prestar esclarecimentos sobre o caso.

O governo alemão reconheceu que foram identificadas "deficiências técnicas e organizacionais" na BND, mas se recusou a dar detalhes para o Parlamento sobre quais líderes europeus teriam sido espionados. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Alemanhaespionagempolíticos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.