Políticos britânicos prometem devolver verba pública

Políticos britânicos acusados de terem abusado dos cofres públicos prometeram hoje pagar o que devem ao governo após o escândalo de gastos com despesas desnecessárias revelado pela imprensa. A decisão foi tomada um dia depois de o líder conservador, David Cameron, ter pedido aos integrantes de seu partido que devolvessem todo o dinheiro utilizado para cobrir as despesas. A atitude de Cameron foi elogiada por especialistas e aumentou a pressão sobre o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, trabalhista.

AE-AP, Agencia Estado

13 de maio de 2009 | 19h31

O ministro da Saúde, Phil Hope, anunciou que devolverá pouco mais de US$ 63 mil gastos com a compra de mobília de sua segunda casa. "A irritação pública de meus eleitores e os danos causados à minha imagem e integridade foram um grande golpe", afirmou Hope. Ele justificou sua decisão como uma maneira de tentar recuperar a confiança do eleitorado. Hazel Blears, outra ministra, também prometeu repor milhares de dólares em impostos depois que ela foi criticada por não pagar as taxas da venda de um imóvel.

O escândalo dos gastos feitos com o dinheiro do contribuinte britânico foi revelado pelo jornal "The Daily Telegraph", que publicou detalhes sobre as despesas de parlamentares registradas desde 2004. Entre as denúncias estão a de que parlamentares usaram o auxílio-moradia para reformar a própria casa e pagar prestações de imóveis. Algumas das despesas foram feitas em residências que não são ocupadas pelos legisladores.

Membros do Parlamento britânico ganham, por ano, o equivalente a US$ 92.795. Nos últimos 12 meses, eles tiveram direito a um auxílio adicional de US$ 200 mil para cobrir gastos de gabinete - incluindo os salários de assessores - e despesas de moradia. Nos EUA, membros da Câmara dos Representantes recebem US$ 174 mil por ano, além de benefícios calculados em US$ 1,4 milhão para pagar as contas de seus escritórios. No Brasil, o salário anual dos deputados federais é de pouco mais de R$ 200 mil (cerca de US$ 95 mil). Mas, para gastos adicionais, os brasileiros dispõem de uma verba de cerca de R$ 1 milhão (US$ 480 mil), além do dinheiro extra para passagens aéreas.

Tudo o que sabemos sobre:
Inglaterraescândaloverba pública

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.