Políticos e diplomatas têm de refazer planos

Cancelamento de voos impede premiê da Noruega de voltar para casa e esvazia festa da rainha da Dinamarca

Jamil Chade, GENEBRA, O Estado de S.Paulo

17 de abril de 2010 | 00h00

O primeiro-ministro da Noruega, Jens Stoltenberg, saiu de Nova York na quinta-feira em direção a Olso. Ontem, ainda estava na Suíça, depois de passar pelo aeroporto de Madri.

Com um celular na mão e papéis na outra, admitia que não sabia quando chegaria em casa. "Espero que neste fim de semana", disse.

No aeroporto de Genebra, centenas de pessoas tiveram de refazer seus planos por causa da erupção do vulcão na Islândia, que levou ao cancelamento de diversos voos.

Juliette Delevue e Jessica Mougne, estudantes de 21 anos, esperavam comemorar o aniversário de uma amiga em Londres. "Vamos perder a festa", disse Juliette, enquanto esperava na fila de uma companhia aérea para tentar obter seu dinheiro de volta.

Outra festa esvaziada foi o aniversário de 70 anos da rainha Margarete, da Dinamarca. Convidados ilustres, como o rei Juan Carlos, da Espanha, não chegaram ao evento.

Diplomatas da Organização Mundial do Comércio (OMC) também foram afetados pelo vulcão. Na segunda-feira, haverá no Uruguai uma reunião de ministros da área de comércio. Elmer Salcedo, negociador peruano em Genebra, tentava ontem conseguir um voo para ir à reunião.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.