Políticos egípcios defendem ação militar contra Etiópia

Políticos egípcios sugeriram ao presidente do país, Mohammed Morsi, que atos hostis e de sabotagem sejam utilizados para impedir que uma barragem seja construída no Nilo Azul, que serve ao Rio Nilo.

AE, Agência Estado

03 de junho de 2013 | 19h29

As sugestões foram feitas ao presidente egípcio durante uma reunião e diversos participantes pareciam não estar cientes de que o encontro estava sendo transmitido ao vivo pela televisão. Segundo informações da Associated Press, Morsi não esboçou reação diante das propostas.

No encontro, Younis Makhyoun, líder de um partido ultraconservador islâmico, afirmou que o Egito deveria apoiar as ações de rebeldes na Etiópia e, em última instância, destruir a barragem.

Ayman Nour, líder do partido liberal egípcio, propôs que deveriam ser espalhados rumores sobre um possível plano de guerra egípcio para assustar os etíopes.

Na terça-feira passada, a Etiópia iniciou o desvio do fluxo do rio Nilo Azul. Egito e Sudão são contrários à obra devido ao fato de que a Etiópia viola um acordo do período colonial segundo o qual o Egito é detentor de quase 70% dos recursos hídrico do Rio Nilo. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
EgitoEtiópiaRio Nilo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.