Políticos xiitas criticam prisão de iranianos pelos EUA

Os comentários feitos por al-Hakim, em uma entrevista para a BBC, parecem ser uma forte expressão da preocupação iraquiana sobre as investidas americanas contra o Irã, após prisões de iranianos por tropas americanas.Já o primeiro-ministro árabe, Ibrahim al-Jaafari disse que o "Iraque não pode posar de ameaça para nenhum país vizinho".No início de 2007, tropas americanas vindas da residência presidencial de Mr Hakim em Bagdá, detiveram dois funcionários públicos iranianos, que, em seguida, foram soltos.No entanto, outros cinco funcionários iranianos foram detidos por soldados americanos na semana passada em uma escritório em Irbil, Eles continuam presos.Os americanos alegam que os detidos tem alguma ligação com Iranian Revolutionary Guard, que são suspeitos de treinar e fornecer armas para insurgentes iraquianos.Já o Iran, que exigiu que os detidos fossem libertados imediatamente, disse que os funcionários trabalhavam legalizados e atuavam como diplomatas"Mesmo sem levar em consideração a posição do Irã, consideramos as prisões destes iranianos como um ato incorreto", disse Hakim, líder do Conselho Supremo de Revolução Islâmica no Iraque. "Espero que isso não se repita".No domingo, o ministro do Exterior iraquiano, Hoshyar Zebari, disse que o Iraque precisa construir uma relação sólida com o Irã."Nós respeitamos a política estratégica dos EUA, que é aliado do Iraque, mas temos interesses próprios", disse Zebari.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.