Polonês acusado por pedofilia em seminário na Áustria

Promotores austríacos indiciaram um estudante seminarista polonês, pela posse e distribuição de pornografia infantil. O indiciamento tem como base uma nova lei federal, em meio ao aprofundamento das investigações sobre um amplo arquivo de imagens encontrado em um seminário na Áustria. O seminarista, cuja identidade não foi revelada, havia gravado "numerosas" fotografias de uma página de internet baseada na Polônia, disse o promotor público austríaco Walter Nemec. Se for julgado e condenado, o seminarista estará sujeito a sentença de até dois anos de prisão. De acordo com as autoridades austríacas, foram descobertos no seminário de Saint Poelten, a 80 quilômetros de Viena, cerca de 40.000 fotografias e diversos vídeos, muitos deles ilustrando pornografia infantil e sexo sadomasoquista, além de seminaristas e seus instrutores se beijando.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.