Poloneses irritam-se com gafe de Obama

O primeiro-ministro da Polônia, Donald Tusk, disse nesta quarta-feira que não ficou satisfeito com a declaração do porta-voz do Conselho Nacional de Segurança dos Estados Unidos, sobre como o presidente Barack Obama usou a frase "campo de morte polonês" durante um discurso realizado na terça-feira, afirmando que as palavras foram ofensivas e distorcem a história.

AE, Agência Estado

30 Maio 2012 | 14h02

No discurso, Obama conferiu postumamente a Medalha Presidencial da Liberdade a Jan Karski, herói da resistência polonesa contra os nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. Em seu discurso, o presidente falou sobre como Karski foi levado a um "campo de morte polonês" para ver por si mesmo que os judeus estavam sendo mortos "em larga escala" e posteriormente passou as informações ao presidente Franklin Roosevelt.

Segundo o governo de Varsóvia, a frase sugere que houve responsabilidade polonesa pelos crimes nazistas cometidos na Polônia.

"As palavras do presidente Obama ofenderam todos os poloneses", declarou Tusk a jornalistas, durante uma coletiva de imprensa em Varsóvia. "Nós sempre reagimos da mesma forma quando a ignorância, a falta de conhecimento ou má vontade levam a tais distorções históricas, especialmente dolorosas para a Polônia, que sofreu como nenhum outro país durante a Segunda Guerra Mundial."

Tusk, que não respondeu a nenhuma pergunta dos jornalistas, disse que a declaração de Obama prejudicou a reputação dos Estados Unidos e pediu a seu aliado que contribua com os esforços poloneses "para que esta frase falsa e injusta seja eliminada de uma vez por todas".

As declarações do primeiro-ministro parecem ter elevado as tensões sobre a questão entre os dois países, mesmo depois de o ministro de Relações Exteriores polonês, Radoslaw Sikorski, ter dito mais cedo à rádio Zet que as palavras provavelmente não foram produto de hostilidade, mas "um erro muito sério feito pela pessoa que escreveu o texto no teleprompter, de onde o presidente estava lendo".

Tommy Vietor, porta-voz do Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos, disse que o presidente se expressou mal. Mas até a manhã desta quarta-feira, o texto do discurso de Obama no site da Casa Branca ainda não havia sido corrigido. As informações são da Dow Jones

Mais conteúdo sobre:
Polônia Obama gafe

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.