Polônia não vai ficar sem resposta, diz Rússia

Após o impasse com o governo da Polônia, o avião que levava o ministro de Defesa russo, Sergei Shoigu, da Eslováquia de volta para a Rússia pôde sobrevoar o espaço aéreo polonês na noite desta sexta-feira. O incidente ocorreu em um momento de tensão entre os dois países devido ao apoio russo aos separatistas do leste da Ucrânia.

THIAGO MORENO, COM INFORMAÇÕES DA ASSOCIATED PRESS, Estadão Conteúdo

29 de agosto de 2014 | 18h53

O avião Tu-154, em que estava Shoigu, foi barrado de entrar no espaço aéreo da Polônia na manhã desta sexta-feira, informou o porta-voz do Exército polonês, tenente-coronel Piotr Walasek. Ele afirmou que o incidente provavelmente ocorreu porque o piloto russo se enganou e informou que pilotava um avião militar, não civil, para o qual tinha permissão.

O Ministério das Relações Exteriores russo publicou um depoimento no qual considerou a decisão da Polônia uma "violação grosseira das normas e da ética da comunicação entre Estados" e afirmou que a ação não passaria sem uma resposta. A aeronave russa teve que retornar a Bratislava porque estava ficando sem combustível, o que colocou a segurança do voo em risco, disse o ministério.

A aeronave de Shoigu pôde sobrevoar a Polônia no fim do dia após mudar sua credencial para um avião civil. O país, que faz fronteira tanto com a Rússia como com a Ucrânia, está preocupado com o conflito armado no leste ucraniano. Os poloneses apoiam a tendência ucraniana pró-Europa e os líderes do país condenam a agressão dos separatistas.

Tudo o que sabemos sobre:
PolôniaRússiaaviãoresposta

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.