Polônia pode eleger rival de presidente morto em acidente

Pesquisa eleitoral mostra que os poloneses devem eleger um dos rivais políticos do presidente polonês morto em um acidente de avião há mais de dois meses, Lech Kaczynski, na eleição deste domingo. Bronislaw Komorowski é o líder das pesquisas. O candidato é pró-União Europeia e membro do partido centro-direita Plataforma Cívica. O irmão gêmeo do presidente morto, Jaroslaw Kaczynski, também concorre às eleições e está em segundo lugar nas pesquisas.

AE-AP, Agência Estado

19 de junho de 2010 | 19h52

Se nenhum dos candidatos tiver 50% dos votos, os dois mais votados vão para o segundo turno, em 4 de julho.

A Associated Press cita pesquisa publicada pelo jornal Rzeczpospolita, na sexta-feira, mostrando que Komorowski tinha 42% das intenções de votos, enquanto Kaczynski ficava com 31%. A pesquisa tem margem de erro de 3,2 pontos porcentuais para cima ou para baixo.

O resultado das eleições deve moldar as decisões da Polônia sobre adoção do euro, reforma do sistema previdenciário e a missão polonesa no Afeganistão. A Polônia é membro da União Europeia, mas ainda não aderiu ao euro. O país é o único da UE que evitou a recessão durante a crise global.

Komorowski se comprometeu a trabalhar em linha com o governo do primeiro ministro, Donald Tusk, para adotar o euro em cerca de 5 anos, encerrar a missão no Afeganistão e promover reformas favoráveis aos mercados.

O conservador Kaczynski tem entre seus objetivos principais combater o crime e a corrupção. Ele é mais cético sobre a União Europeia e a adoção do euro do que o outro candidato, dizendo que é muito cedo para estabelecer um calendário para abandonar a moeda local, o zloty.

Kaczynski é conhecido por seu nacionalismo e tom combativo, mas tem se mostrado mais moderado desde a morte do irmão. Diversos poloneses não têm certeza se a mudança é perene ou uma estratégia para conquistar eleitores.

Lech Kaczynski e a esposa estavam entre as 96 pessoas mortas em um acidente aéreo, na Rússia, em 10 de abril.

Mais de 30 milhões dos 38 milhões de cidadãos estão registrados para votar no país neste domingo. A primeira contagem de boa de urna será divulgada quando a votação se encerrar.

Tudo o que sabemos sobre:
Polôniaeleição

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.