Polônia prende líder checheno acusado de terrorismo

O líder checheno Akhmed Zakayev, um dos homens mais procurados na Rússia, foi detido hoje na Polônia por causa de acusações do governo russo de assassinato, sequestro e terrorismo durante a guerra separatista na Chechênia nos anos 1990.

AE-AP, Agência Estado

17 de setembro de 2010 | 15h53

Zakayev, que obteve asilo político na Grã-Bretanha anos atrás, afirma que as acusações contra ele são falsas e relatou à Rádio Europa Livre no dia anterior que estava na Polônia em condição "totalmente legal" e que não iria se esconder das autoridades. O Kremlin considera o ativista um perigoso mentor da guerrilha.

O homem de 51 anos foi detido "sem qualquer problema" quando deixava uma casa em Varsóvia, na manhã de hoje, e foi levado às autoridades judiciais, disse o porta-voz policial Mariusz Sokolowski. Partidários disseram que Zakayev, que foi a Varsóvia para participar de uma conferência internacional sobre a Chechênia, estava a caminho do evento quando foi detido.

Zakayev parecia relaxado ao chegar num carro da polícia ao escritório da promotoria. "Não espero nada que vá violar as regras da lei", disse ele às câmeras de televisão. "A Polônia é um país democrático e que respeita as leis. Quando soube que não haveria problemas, decidi vir."

Tudo o que sabemos sobre:
PolôniaRússiaprisãolíder checheno

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.