Polônia realiza segundo turno de disputa eleitoral apertada pela presidência

Os poloneses votam neste domingo no segundo turno de uma disputada corrida presidencial, envolvendo o presidente conservador Bronislaw Komorowski e um oposicionista ainda mais conservador.

Estadão Conteúdo

24 de maio de 2015 | 13h08

Em seus cinco anos no poder, Komorowski, de 62 anos, tem sido um líder popular e havia a expectativa de que conseguisse a reeleição sem dificuldade. Ele acabou, porém, perdendo por pouco no primeiro turno para Andrzej Duda, um pouco conhecido advogado de 43 anos, membro do Parlamento Europeu e do Partido Lei e Justiça, que conseguiu fazer uma campanha empolgante. Nos últimos dias, as pesquisas apontavam para um cenário muito equilibrado na disputa final.

Algumas acusações de corrupção contra integrantes da coalizão de governo podem ter pesado. O partido Plataforma Cívica está no poder desde 2007, mas perdeu apoio após o carismático primeiro-ministro Donald Tusk deixar o poder. Atualmente, Tusk é presidente da União Europeia.

O presidente tem poderes limitados na Polônia, mas a eleição é acompanhada com atenção, pelo que pode apontar para o futuro. Ainda neste ano, serão realizadas eleições parlamentares, mais importantes nesse país.

Os dois partidos na reta final são conservadores, mas o governista Plataforma Cívica é mais liberal em temas como a fertilização in vitro. O Lei e Justiça é mais nacionalista e já pediu mais soberania em relação à União Europeia. Duda disse que os impostos sobre bancos e grandes cadeias de supermercado devem ser elevados e a idade para a aposentadoria deve ser reduzida. O atual governo elevou essa idade mínima para a aposentadoria, uma medida bastante impopular.

A moeda polonesa, o zloty, se desvalorizou nos últimos dias da campanha. As pesquisas de boca de urna devem ser divulgadas a partir das 16h (hora de Brasília) deste domingo, mas os resultados finais só devem sair pelo menos na segunda-feira. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Polôniaeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.