Poluição contamina rio que banha o Taj Mahal

A contaminação ambiental na Índia chegou ao Taj Mahal, onde pelo menos 300 mil peixes morreram no rio que banha o famoso mausoléu. Segundo um professor da vizinha cidade de Agra (no Estado de Uttar Prashed), Gyanesh Kumar, a mortandade se deve a um imprevisto aumento da poluição das águas do rio.Alguns membros do governo local temem que a contaminação possa afetar o turismo no local mais conhecido do país, por isso foi determinada a abertura de uma investigação. Funcionários municipais acusam os dejetos industriais e residenciais, que transformam o rio em um verdadeiro esgoto a céu aberto.Considerado uma maravilha da arte oriental, o mausoléu de mármore branco e ouro foi levantado no início do ano 600 por ordem do imperador Shah Jenan, em memória de sua amada mulher Mumtaz Mahal.Hoje, o Taj Mahal é visitado a cada ano por cerca de 800 mil turistas estrangeiros, que deixam na economia indiana aproximadamente US$ 680 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.