Justin Lane/EFE - 4/6/2020
Justin Lane/EFE - 4/6/2020

Pompeo acusa a China de usar morte de Floyd como propaganda contra os EUA

Governo do país asiático havia criticado os Estados Unidos por causa de repressão a manifestações pela morte de um negro por um policial branco

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de junho de 2020 | 14h29

WASHINGTON - Os Estados Unidos acusaram a China neste sábado, 6, de usar a agitação pela morte de George Floyd sob custódia policial para justificar a negação de direitos humanos a sua população. 

"Como todas as ditaduras da história, nenhuma mentira é demasiada obscena, desde que sirva aos anseios de poder do Partido", disse o secretário de Estado Mike Pompeo em comunicado referente ao Partido Comunista da China

"Essa propaganda ridícula não deve enganar ninguém", acrescentou. 

A China fez críticas severas aos Estados Unidos pelo notório caso Floyd, mas não ficou claro de imediato, sobe qual delas Pompeo se referiu.

Pequim atraiu críticas dos governos ocidentais, especialmente dos Estados Unidos, por sua atitude repressiva aos protestos de manifestantes pró-democracia em Hong Kong

Quando a fúria contra a desigualdade racial e a brutalidade policial eclodiu nos Estados Unidos após a morte em 25 de maio de Floyd, um negro desarmado morto por força excessiva de um policial branco em Minneapolis, porta-vozes e a mídia do governo chinês repreenderam Washington. 

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China disse que o racismo é "uma doença crônica da sociedade americana".

A resposta de Washington à morte de Floyd pela polícia foi "um exemplo didático de seu duplo padrão mundialmente famoso", disse o porta-voz. 

Neste sábado, Pompeo afirmou que nos últimos dias Pequim demonstrou "um desprezo sustentado pela verdade e um desdém pela lei". / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.