População civil de Israel aprende a se proteger de mísseis

O programa "Protegidos e Preparados" terá duração de três semanas

EFE

23 de dezembro de 2007 | 06h58

O Ministério da Defesa de Israel começa neste domingo um programa em todos os meios de comunicação para ensinar a população civil a se proteger de ataques com mísseis e foguetes no caso de uma guerra. O programa "Protegidos e Preparados" terá duração de três semanas. As mensagens serão divulgadas em cinco idiomas, por rádio, televisão e internet. A preparação do programa levou cinco meses, com a participação de especialistas, informou o Comando Militar da Retaguarda. Houve um treinamento semelhante em 1990, devido aos ataques balísticos do Iraque contra Israel durante a primeira Guerra do Golfo. O temor na época era de mísseis iraquianos carregados com gases letais. Por isso, os civis receberam máscaras, que, periodicamente, devem ser renovadas. Um oficial do Comando da Retaguarda respondeu às críticas ao programa. Ele afirmou que a campanha "não está relacionada com nenhuma ameaça específica ou iminente". O treinamento incluirá a preparação de quartos isolados dentro das casas para o caso de um ataque, entre outros precauções. Israel criou há uma semana a Autoridade Nacional de Emergência, subordinada ao Ministério da Defesa. Segundo fontes militares, esta foi uma das lições extraídas do conflito de 2006, no Líbano, contra a milícia islâmica do Hezbollah.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.