População dos EUA cresce para 308,7 milhões

Aumento em regiões tradicionalmente republicanas podem impulsionar oposição no futuro

Agência Estado

21 de dezembro de 2010 | 16h05

Groves apresenta resultados sobre perda e ganho de assentos no Congresso.

 

WASHINGTON - O Escritório do Censo dos EUA divulgou nesta terça-feira, 21, os novo dados populacionais do país, contagem segundo a qual a população total subiu 9,7%, chegando a 308.745.538 habitantes.

 

Os números ainda mostram que o balanço de poder do país está migrando dos bastiões democratas no Nordeste e Meio-Oeste para Estados mais quentes como a Flórida e o Arizona, onde os republicanos têm mais força.

 

Os resultados do Censo são publicados a cada dez anos nos EUA e refletem na representação da Câmara dos Representantes para a década seguinte. O grande vencedor para as eleições de 2012 e as seguintes é o Texas, que ganhará quatro cadeiras. Já Ohio perderá duas cadeiras.

 

A Flórida ficará com mais duas vagas, e a Geórgia com mais uma. A Califórnia manteve 53 cadeiras, permanecendo como a maior representação. Já a Louisiana perdeu uma cadeira.

 

"O censo é a espinha dorsal dos nossos sistemas político e econômico dos próximos anos", disse Robert Groves, diretor do Escritório.

 

O crescimento de 9,7% é o menor desde os anos 30, quando a população americana cresceu apenas 7,3%. Na década de 1990, o crescimento foi de 13,2%, segundo informações da rede de notícias CNN.

 

Apesar da redução, o crescimento populacional dos EUA é bem maior que o de outros países desenvolvidos. As populações do Japão e da Alemanha, por exemplo, sofrem redução, enquanto na França e o no Reino Unido o aumento é de 5% por década.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.