População e esperanças arrasadas em Tskinvali

Tskinvali tinha 40 mil habitantes antes da ofensiva georgiana - toda a Ossétia do Sul, 70 mil. Agora, estima-se que tenham restado entre 3 mil e 4 mil pessoas. Até sexta-feira, 54.530 refugiados tinham conseguido registrar-se no governo georgiano. Milhares de ossétios fugiram para a Ossétia do Norte, que pertence à Rússia. Em dois dias na cidade, o repórter enviado especial do jornal O Estado de S. Paulo, Lourival Sant''Anna, relata que contou cerca de cem civis nas ruas - quase todos idosos, alguns de meia-idade e duas mulheres jovens. Não há crianças. Todos os homens em idade militar são considerados milicianos, e a maioria carrega fuzis, mesmo que não use farda. O hospital de Tskinvali - ele próprio destruído - registrou 300 mortes. Segundo o Exército russo, morreram 2.100 civis e 74 militares russos e outros 171 ficaram feridos. A Geórgia considera exagerado esse número de civis mortos. O Ministério de Situações Emergenciais da Rússia ergueu dois acampamentos de ajuda humanitária, um com um hospital de campanha e outro com distribuição de comida e de água e registro de refugiados. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.