População faz manifestação em apoio à garota baleada

Dezenas de milhares de pessoas protestaram no Paquistão, neste domingo, em apoio à garota de 14 anos que foi baleada e seriamente ferida pelo Taleban por estimular a educação. O ataque à Malala Yousufzai, quando ela voltada da escola para casa, horrorizou as pessoas dentro e fora do país. Ao mesmo tempo, deu esperança a alguns de que o governo deverá responder intensificando a luta contra o Taleban.

AE, Agência Estado

14 de outubro de 2012 | 19h29

O partido político que organizou as manifestações deste domingo foi o Movimento Muttahida Quami. O líder do partido, Altaf Hussain, criticou outros partidos por não organizarem manifestações para protesto contra o ataque à garota. Ele chamou de "bestas" os homens que atacaram a garota. "Malala Yousufzai é símbolo de conhecimento. Ela é filha da nação", disse Hussain de Londres, onde está em autoexílio.

O Taleban no Paquistão disse que fez o ataque à garota porque ela estava promovendo "pensamento ocidental". A polícia prendeu pelo menos três suspeitos de ligação com o ataque, mas o atirador ainda não foi detido. A garota tomou o tiro no pescoço e a bala se alojou perto da na espinha dorsal. Duas colegas de escola também ficaram feridas no ataque. Malala foi submetida a uma cirurgia. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoTaleban

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.