População festeja seu novo ''astro''

Entusiasmo pelo presidente eleito ofusca brilho de estrelas do rock

Fernando Dantas, WASHINGTON, O Estadao de S.Paulo

19 de janeiro de 2009 | 00h00

Nem estrelas da música como Bono Vox, Bruce Springsteen, Stevie Wonder e Shakira, que se apresentaram em Washington na tarde de ontem, ofuscaram o brilho de Barack Obama e sua mulher, Michelle. O presidente eleito dos Estados Unidos, que será empossado amanhã, foi a atração principal do evento "We are one" no National Mall, que começou às 14h30 e acabou por volta das 17h, no horário local.Cerca de 200 mil pessoas enfrentaram o frio de 3°C negativos para assistir aos shows e ver Obama e Michelle, que chegaram a Washington no sábado à noite, vindos de trem da Filadélfia. O casal foi muito aplaudido quando apareceu na festa. O futuro presidente e seu vice, Joe Biden, sentaram-se com suas mulheres em um camarote próximo ao Lincoln Memorial, que era protegido por um vidro à prova de balas. Além das bandas, o evento teve a participação de atores hollywoodianos como Tom Hanks, Jack Black, Jamie Foxx, Forest Whitaker e Denzel Washington - que foi o primeiro a falar. "Nós estamos nessa juntos", gritou o ator. Em um determinado momento, até o vice-presidente quis dar seu depoimento. "Olhe à sua volta. Veja a graça e a magnificência que nos cerca e você verá o trabalho das mãos americanas", disse Biden. No encerramento do evento, Obama discursou."Eu votei, fiz campanha e até telefonei para conhecidos pedindo a eles que votassem em Obama. É a primeira vez que venho prestigiá-lo. Não estou vendo nada, só umas sombras no palco, mas estou achando muito bacana", contou Reyward Robinson, prefeito da cidade de Melo Park, na Califórnia.Os mais jovens também fizeram questão de marcar presença no show. "Queria sentir o clima da posse", disse Meg Prior, que trabalha em uma empresa de segurança em Virgínia. "Eu estou aqui para participar de um momento em que a história está sendo feita", declarou o engenheiro Jerry Cholette, também de Virgínia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.