População japonesa bate recorde negativo de crescimento

A população japonesa teve no último quinquênio sua menor taxa de crescimento desde 1920, segundo dados divulgados nesta sexta-feira, que reforçam a preocupação com os custos relacionados ao envelhecimento da sociedade.

SHINICHI SAOSHIRO, REUTERS

25 de fevereiro de 2011 | 11h06

Entre outubro de 2005 e outubro de 2010, a população japonesa aumentou em apenas 288 mil pessoas, chegando a 128,05 milhões, segundo dados do Censo. Isso significa uma taxa de apenas 0,2 por cento, a menor já registrada, e bem abaixo do auge do pós-guerra, que foi de 15,3 por cento entre 1945 e 50.

"A taxa de crescimento de 0,2 por cento foi ligeiramente superior à esperada, mas não muda o fato de que o número de japoneses deve decrescer", disse uma fonte do Ministério de Assuntos Internos.

A desaceleração do crescimento cria graves problemas previdenciários para o governo, que já adotou medidas para estimular as pessoas a terem mais filhos.

Especialistas dizem que o baixo crescimento populacional se deve ao custo elevado para criar filhos, à maior presença feminina na força de trabalho e à relutância do país em aceitar imigrantes.

Tudo o que sabemos sobre:
JAPAOPOPULACAOCAI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.