População judaica dos EUA diminuiu nos últimos dez anos

A população judaica dos Estados Unidos diminuiu e envelheceu na década passada, porque os judeus não tiveram um número suficiente de filhos a fim de manter estável o número de sua população, de acordo com estudo divulgado hoje. A Pesquisa Nacional sobre a População Judaica (2000-2001) descobriu que 5,2 milhões de judeus vivem nos EUA, em comparação a 5,5 milhões há uma década. A idade média da população judaica subiu de 37 para 41 anos no mesmo período, aumentando a preocupação de que a fé não esteja sendo transmitida para a geração mais jovem.Metade das mulheres judias entre 30 e 34 anos não têm filhos, em comparação a 27% da população feminina norte-americana, e as mulheres judias com filhos não os têm em número suficiente para manter a população estável. Os pesquisadores disseram que os números refletem parcialmente que as mulheres judias, assim como as outras mulheres, têm adiado o casamento a fim de seguir os estudos superiores e fazer carreira. "Os resultados são de certa forma preocupantes", afirmou Steven M. Cohen, sociólogo na Universidade Hebraica de Jerusalém que trabalhou na pesquisa.O estudo, que custou US$ 6 milhões, está entre os maiores e mais influentes já realizados a respeito dos judeus dos EUA. A pesquisa, feita uma vez a cada dez anos sob o patrocínio das Comunidades Judaicas Unidas, uma federação de serviços sociais internacionais com sede em Nova York, mostra como os judeus norte-americanos trabalham para manter sua religião viva. As descobertas estão sendo divulgadas em duas etapas. Os dados sobre a taxa de casamentos entre judeus e não judeus devem ser apresentados em novembro.Entre os assuntos mais complexos com os quais os pesquisadores se depararam está a definição de quem é judeu, para os propósitos do estudo. A pesquisa incluiu pessoas que se identificavam como judias, tinham um dos pais judeus ou foram criadas como judias e não se converteram a outra religião. Se fosse usada uma definição mais ampla, incluindo qualquer um com um antepassado judeu, a população total cresceria para 6,9 milhões, disseram os autores da pesquisa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.