População palestina aprova governo do Hamas

A população palestina da faixa autônoma de Gaza e da Cisjordânia ocupada por Israel confia no governo do Movimento Islâmico Hamas e aprova sua gestão à frente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), segundo uma pesquisa do Centro de Comunicações de Jerusalém, dirigido por Ghassan Hatib, ex-ministro da ANP. O resultado mostra que 50,2% aprovam a atuação do primeiro-ministro, Ismail Haniye, na área de educação e 35% nos serviços de saúde. Os índices de reprovação nos dois setores foram de 14,1% e 25%, respectivamente. Em princípio, disse Hatib, não houve mudanças desde que Haniye assumiu o poder, no fim de março. Mas os cidadãos "percebem que melhorou a situação, com exceção da segurança pessoal". Haniye é visto como o político palestino de maior confiança por18,2% dos entrevistados, seguido pelo presidente da ANP, Mahmoud Abbas, do Fatah, com 13%, e o deputado Marwan Barghouthi, que está preso, com 5,6%. Na opinião de Hatib, o mais surpreendente é que 27% dos palestinos "não acreditam em nenhum líder". Haniye e o Hamas, observou, gozam de maior popularidade em Gaza do que na Cisjordânia. Segundo a pesquisa, porém, a popularidade do Hamas caiu. Em fevereiro, 41,4% dos palestinos disseram que votariam no partido nas eleições parlamentares. Em junho, o apoio caiu para 30,8%. As intenções de voto no Fatah, por sua vez, aumentaram de 31% em fevereiro para 33,2% em junho. A pesquisa foi feita dois dias antes da operação dos comandos palestinos que, em 25 de junho, mataram dois soldados numa basemilitar israelense e seqüestraram Guilad Shalit, desencadeando uma grave crise e a invasão de Gaza. Os pesquisadores também constataram que 52,4% - menos ainda que em fevereiro - acreditam numa solução do conflito com Israel segundo afórmula de um Estado palestino e outro israelense.

Agencia Estado,

04 de julho de 2006 | 06h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.