População protesta contra corrupção de ex-premiê tailandês

Das 24 acusações contra Thaksin e membros de sua família, apenas sete foram para a corte

Associated Press,

07 de julho de 2008 | 06h29

Mais de 3 mil pessoas pedem a punição do ex-primeiro ministro Thaksin Shinawatra, acusado de corrupção, em frente a central de comando da polícia nacional de Bangcoc Tailândia nesta segunda-feira, 7. Os manifestantes, liderados pela Aliança pela Democracia, acusam a polícia de proteger Thaksin Shinawatra, assim como seus advogados contra os procedimentos legais e de investigação.  Thaksin foi derrubado em um golpe militar em 2006 com a Aliança e outros grupos acusando-o de corrupção e abuso de poder. O líder retornou do exílio no começo deste ano, com a promessa de limpar seu nome na justiça. Das 24 acusações contra Thaksin e membros de sua família, apenas sete foram para a corte. As outras continuam retidos com a polícia ou com advogados. Thaksin e sua mulher Pojaman precisam ir até a justiça na terça-feira para encarar a responsabilidade pelo que foi tomado do poder público durante seu mandato. O casal alega inocência. A aliança e seus seguidores estão nas ruas de Bangcoc desde 25 de maio, com o pleito de não pararem os protestos até que o governo do primeiro-ministro Samak Sundaravej se posicione sobre o caso. Samak, aliado de Thaksin, é tido como seu marionete. As demonstrações acontecem em uma área da cidade dominada por ministérios e escritórios de organizações internacionais. Nesta segunda-feira, o protesto foi para um bairro de negócios e centros de compras, considerados como os mais caros de Bangcoc.

Tudo o que sabemos sobre:
Tailândiaprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.