Popularidade de Morales cai pelo quinto mês consecutivo

Uma nova pesquisa confirmou nesta sexta-feira que apopularidade do presidente boliviano, Evo Morales, caiu pelo quintomês consecutivo, de um máximo de 81% em maio para 50% em outubro. A pesquisa, elaborada pela Apoyo, Opinión y Mercado e divulgadapelo jornal La Razón, mostra as mesmas porcentagens que outraentregue à Efe na quarta-feira pela empresa britânico-uruguaiaEquipes Mori. Segundo o La Razón, os consultados que desaprovam Moralesaumentaram a 41%, devido em boa parte a recentes conflitos sociais. O presidente boliviano, que na quinta-feira completou 47 anos eestá a nove meses no poder, enfrentou este mês numerosos protestosde setores populares, entre eles choques com dinamites entre doisgrupos rivais de mineiros que o apoiavam. Os confrontos deixaram 16 mortos e 60 feridos. A pesquisa daApoyo, Opinión y Mercado foi feita poucos dias após este massacre namina de estanho de Huanuni, no departamento andino de Oruro. Morales tem o maior apoio na cidade de El Alto, uma das maispobres do país e próxima a La Paz, com 79%, e o mais baixo em SantaCruz, a mais povoada e desenvolvida, com 25%. A Apoyo, Opinión y Mercado entrevistou 1.010 pessoas entre 13 e18 de outubro nas duas cidades, em La Paz e em Cochabamba. A pesquisa da firma Equipes Mori revelou também que o número debolivianos que opinam que o governo atual é menos corrupto que osanteriores caiu de 73% em julho a 61% este mês. A empresa britânico-uruguaia fez o estudo de 8 a 16 de outubrocom mil moradores de La Paz, El Alto, Cochabamba, Santa Cruz eTarija. A Equipes Mori também mostrou um aumento de 53% para59% napercepção de "que o país vai na direção equivocada", junto a umaredução de 33% a 27% dos que acham que está no caminho adequado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.