Popularização da Irmandade

A Irmandade Muçulmana foi fundada em 1928, período de crise no mundo islâmico: o Império Otomano havia sido substituído por uma república laica na Turquia e as potências europeias haviam dividido o Oriente Médio em protetorados. Nesse contexto, o imã Hassan al-Banna cria o grupo com o objetivo de adotar a sharia e rejeitar a influência ocidental. Ao longo dos anos, a organização entrou e saiu da legalidade no Egito, mas sua popularização aumentou nos anos 50 e 60. Em 1966, o presidente egípcio Gamal Nasser mandou enforcar Sayyid Qutb, teólogo da Irmandade e um dos pais do fundamentalismo islâmico - foi ele quem criou a ideia de jihad. Vários líderes do grupo se refugiaram em países árabes, especialmente na Arábia Saudita, onde entraram em contato com a escola ultrarradical do wahhabismo. De todos os grupos derivados da Irmandade no mundo islâmico, o mais famoso é o Hamas, fundado em 1987.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.