Por 8 votos, ex-governador sai na frente nas primárias republicanas

Casa Branca na mira. Mitt Romney vence com 24,6% a primeira etapa da disputa interna do Partido Republicano, seguido pelo ex-senador Rick Santorum, que ficou com 24,5%, e o libertário Ron Paul, com 21,4%; Michelle Bachman abandona campanha

GUSTAVO CHACRA, CORRESPONDENTE / NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

05 de janeiro de 2012 | 03h07

A prévia mais apertada da história do Partido Republicano, no Estado de Iowa, terminou na madrugada de ontem com a vitória do ex-governador de Massachusetts Mitt Romney sobre o ex-senador Rick Santorum por apenas oito votos - de um total de 122 mil. As atenções da corrida republicana à presidência dos EUA passam agora para New Hampshire, que realiza primárias na terça-feira, e Carolina do Sul, que escolhe seus delegados no dia 21.

O desempenho ruim em Iowa fez a pré-candidata Michele Bachmann anunciar ontem sua desistência da disputa. "O povo de Iowa deu seu veredicto e estou saindo de cena", disse a deputada, que obteve apenas 5% dos votos no Estado.

Apesar da segunda colocação, o grande vencedor da noite parece ter sido Santorum. Até duas semanas atrás, ele ocupava as últimas posições e era o pré-candidato que menos dinheiro havia arrecadado. O ex-senador, no entanto, passou seis meses viajando pelo Estado, visitando todos os seus 99 distritos e cresceu às vésperas da votação.

Segundo especialistas, parte de seu sucesso é a tentativa dos republicanos de encontrar um candidato "anti-Romney", alguém que seja suficientemente conservador e empolgue a base do partido - os motivos da alta rejeição a Romney vão desde sua religião, o mormonismo, ao fato de ele ser considerado moderado demais.

O caminho de Santorum, no entanto, não será fácil. Com poucos recursos, ele admitiu ontem que terá muita dificuldade a partir de agora para montar uma estrutura de campanha em outros Estados e conseguir doações suficientes para enfrentar Romney, que tem dezenas de milhões de dólares à disposição.

"Romney tem uma grande vantagem em termos de dinheiro e tempo. Ele está concorrendo (à presidência) há mais de seis anos. Mas sinto que posso competir da mesma forma que em Iowa", disse Santorum, que obteve 24,54% dos votos - menos de um centésimo da votação do ex-governador.

O impacto da vitória de Romney em Iowa deve ser ampliado em caso de um novo triunfo em New Hampshire - ele lidera com folga as pesquisas no Estado. Ontem, o ex-governador recebeu o importante apoio de John McCain, candidato derrotado pelo presidente Barack Obama nas eleições de 2008.

O caucus de Iowa também deu fôlego para a candidatura de Ron Paul, que ficou na terceira colocação com 21,5% dos votos. Apesar de ter liderado a maioria das pesquisas no Estado, ele tem bastante dinheiro em caixa e o apoio de um batalhão de jovens - sondagens mostram que ele é o preferido na faixa etária abaixo dos 30 anos.

Paul, um político libertário de 76 anos, defende o fim do FED (o banco central dos EUA) e propõe uma política externa isolacionista, que traga de volta ao país todos os soldados americanos que servem no exterior.

Além de Bachmann, a derrota em Iowa pesou também para o governador do Texas, Rick Perry, que obteve 10% dos votos, e para Newt Gingrich, ex-presidente da Câmara dos Representantes, que ficou com 13,3%. Perry anunciou que abandonou a disputa em New Hampshire para se concentrar na Carolina do Sul. Gingrich preferiu atacar o que chamou de "política negativa" de Romney.

O próximo encontro entre os pré-candidatos será o debate republicano de sábado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.