Mike Blake/Reuters
Mike Blake/Reuters

Em isolamento, Nova York autoriza casamentos por teleconferência

Decisão foi tomada após o governador Andrew Cuomo anunciar que a paralisação do Estado, que tem mais de 114 mil mortes em decorrência da covid-19, será estendida ao menos até 15 de maio

Beatriz Bulla, CORRESPONDENTE, O Estado de S.Paulo

20 de abril de 2020 | 19h31

WASHINGTON - Nova-iorquinos que viram seus planos de casamento frustrados no último mês em razão das medidas de isolamento adotadas em meio à pandemia de coronavírus já podem preparar as alianças: no Estado mais afetado dos Estados Unidos, o vírus não é mais um impedimento para casar. O governador de Nova York, Andrew Cuomo,  anunciou neste fim de semana que casamentos serão permitidos por teleconferência, ou seja, utilizando serviços como Skype ou Zoom. 

"Cerimônias de casamento virtuais. Não há desculpa agora quando a questão é casar. Sem desculpa. Você pode fazer isso por Zoom. Então, sim ou não?", brincou Cuomo, ao dizer que assinaria uma ordem executiva com a medida.

A decisão foi tomada depois que Cuomo anunciou que a paralisação do Estado, que tem mais de 114 mil mortes em decorrência da covid-19, será estendida ao menos até 15 de maio. Os nova iorquinos vivem há quase 40 dias sob as ordens de isolamento e o relaxamento das medidas de distanciamento social deve ser gradual, sem perspectiva de quando eventos com grande número de convidados serão retomados.

As redes sociais já vinham sendo usadas para que casais que cancelaram a celebração em razão do isolamento pudessem "brindar" virtualmente com amigos no dia previamente agendado para a festa. Há mais de 1,4 mil publicações no Instagram com a hashtag "#zoomwedding" - na maioria, casais arrumados para uma festa levantam taças na sala de casa ou em um quintal, sozinhos ou com poucos familiares em volta, enquanto os demais convidados se dividem na tela de um computador conectado no Zoom.  Mas a "festa online" não tinha, até agora, caráter oficial. Com a nova medida, os noivos que quiserem se casar poderão oficializar a união no Estado em uma teleconferência com funcionários de um cartório civil.

A oficialização do casamento tem efeitos legais que muitos casais buscam neste momento, como o direito a compartilhar plano de saúde. Por isso, um condado em Ohio passou a autorizar casamentos através de teleconferência em casos específicos, como dificuldades com plano de saúde ou quando um dos noivos é um profissional da área da saúde. O Estado de Colorado também adotou medidas semelhantes às de Nova York.

Os aplicativos de vídeo têm sido usados para outras cerimônias em tempos de pandemia. Com a limitação extrema da circulação e reunião de pessoas, funerais têm sido transmitidos por vídeo e também formaturas de graduação. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.