Nasser Nasser/Pool via Reuters
Nasser Nasser/Pool via Reuters

Por crise do coronavírus, Israel emprestará € 200 milhões à Autoridade Palestina

Valor foi solicitado no último mês e será entregue em quatro parcelas, a partir de junho

Redação, O Estado de S.Paulo

11 de maio de 2020 | 18h44
Atualizado 16 de maio de 2020 | 12h14

JERUSALÉM - Israel transferirá 800 milhões de shekels (cerca de € 210 milhões) para a Autoridade Palestina para compensar a perda de sua renda causada pela crise do novo coronavírus, informou uma autoridade israelense. 

Segundo o funcionário do governo, o Ministério das Finanças da Palestina solicitou um empréstimo no mês passado e os serviços de segurança israelenses o aprovaram. 

A entrega da quantia será feita em quatro parcelas a partir de junho para apoiar a economia palestina, disse a autoridade, que pediu anonimato. 

Israel recolhe e transfere milhões por mês em impostos e taxas alfandegárias para os palestinos sobre produtos importados por palestinos e que transitam pelos portos de Israel. No entanto, a crise da pandemia de covid-19 causou uma diminuição nas importações. 

Desde fevereiro de 2019, Israel reteve uma parcela dos impostos dos palestinos, que alega corresponder a benefícios pagos pela Autoridade Palestina a famílias de palestinos presos ou mortos por terem cometido ataques contra Israel. 

Os palestinos consideram os prisioneiros os heróis da luta contra a ocupação israelense. Israel acredita que esses benefícios incentivam a violência. 

O funcionário israelense enfatizou que o empréstimo não tinha nada a ver com os fundos retidos, que, segundo ele, atualmente somam 650 milhões de shekels (cerca de € 171 milhões) e acrescentou que esses serão desbloqueados quando a Autoridade Palestina parar de financiar prisioneiros e suas famílias. /AFP

 

Tudo o que sabemos sobre:
Israel [Ásia]Autoridade Palestina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.