Chip Somodevilla/Getty Images/AFP
Chip Somodevilla/Getty Images/AFP

Por impeachment de Trump, bilionário gastará US$ 30 milhões em campanhas eleitorais

Tom Steyer anunciou que a NextGen America, seu comitê de ação política e defesa ambiental, financiará democratas que disputarem o Congresso e alguns governos estaduais; objetivo é retomar controle da Câmara para iniciar destituição de republicano

O Estado de S.Paulo

09 Janeiro 2018 | 11h04

WASHINGTON - Tom Steyer, ambientalista bilionário e doador do Partido Democrata, anunciou nesta semana que seu comitê de ação política sem fins lucrativos e de defesa ambiental NextGen America, gastará US$ 30 milhões para ajudar democratas a tentarem recuperar o controle da Câmara dos Deputados nas eleições de meio de mandato, em novembro.

Congressistas americanos consultam especialistas sobre saúde mental de Trump

Com este financiamento da NextGen America aos candidatos democratas, Steyer - que garantiu não ter intenções de se disputar uma vaga no Senado ou o governo da Califórnia, como especulado recentemente, tem um objetivo maior: iniciar um processo de impeachment contra o presidente americano, Donald Trump.

Steyer, que foi um dos principais doadores da campanha presidencial de Barack Obama em 2012, também figurou como o maior doador individual para campanhas políticas nas eleições de meio de mandato em 2014 - seu grupo gastou US$ 74 milhões para apoiar democratas naquele ano.

Mas a maioria dos candidatos que ele apoiou em 2014 foi derrotada. Desta vez, porém, Steyer diz que usará uma estratégia diferente. Ao invés de focar nas mudanças climáticas como uma questão para atrair jovens eleitores, como em 2010, a NextGen America focará em qualquer questão que ajude os democratas a conquistar a maioria na Câmara - e, consequentemente, ter a capacidade de iniciar o impeachment.

Trump versus a presidência: uma batalha diária

"Estamos realmente focados em remover este presidente", disse o bilionário. Há alguns meses, o grupo de Steyer começou uma campanha na TV e em outras mídias defendendo o impeachment de Trump. Na segunda-feira, ele deixou claro que os anúncios - veiculados principalmente em canais por assinatura - eram apenas a primeira medida contra o presidente dos EUA.

"Estou disposto a fazer o que for necessário para ajudar a salvar nosso país. Sinto que a tarefa mais importante para mim é organizar", afirmou. "Um ano atrás, ninguém sabia como seria a presidência de Donald Trump ou como ele se comportaria. Agora, sabemos que o Salão Oval não pode remodelar um homem que não acredita na democracia constitucional", afirmou.

Aliados do presidente, tanto dentro quanto fora da Casa Branca, dizem que as ameaças de Steyer não passam de discursos hiperbólicos de democratas que ainda não aceitaram a vitória de Trump em 2016 e continuam tentando desacreditar seu governo.

Mas o bilionário disse que desta vez "fala mais sério do que nunca e está ainda mais organizado". A NextGen America apoiará candidados democratas à Câmara, ao Senado e nas disputas pelo governo nos seguintes Estados: Flórida, Virgínia, Wisconsin, Michigan, Nevada, Califórnia, Pensilvânia, Iowa, New Hampshire e Arizona. 

Apostas de que Trump sofrerá impeachment avançam após delação premiada de Flynn

O foco da organização será convencer eleitores millennials, que formarão o maior grupo de votantes nas eleições de 2018 e 2020. "Os jovens são esmagadoramente progressistas e estão com mais energia do que nunca", disse Steyer. "Eles são agora o maior bloco de eleitores nos Estados Unidos, são capazes de alterar as eleições por conta própria, e estão horrorizados com o que está acontecendo em Washington."

Além do apoio nas campanhas eleitorais, Steyer disse que seu grupo pressionará todos os membros da Câmara a defender o impeachment de Trump. Para isso, a primeira ação do bilionário é entregar para todos os deputados uma cópia do livro "Fogo e Fúria", lançado na semana passada por Michael Wolff, que mostra os bastidores do primeiro ano de Trump na Casa Branca. / NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.