Por segurança, ONU quer tirar funcionários do Paquistão

A Organização das Nações Unidas (ONU) planeja enviar, temporariamente, parte de seu pessoal estrangeiro para fora do Paquistão. A medida deve realizada por questões de segurança após atentados matarem pelo menos 11 de seus funcionários no país em 2009, informou hoje um porta-voz da entidade.

AE-AP, Agencia Estado

31 de dezembro de 2009 | 16h14

A medida foi tomada cerca de dois meses depois que a ONU decidiu suspender seu trabalho de desenvolvimento de longo prazo em áreas voláteis perto da fronteira afegã. As duas decisões podem prejudicar os esforços internacionais para conquistar corações e mentes no Paquistão, onde as atividades do Taleban mataram mais de 500 pessoas nos últimos dois meses e meio.

Cerca de 20% dos funcionários estrangeiros da ONU vão deixar o país por seis meses ou ser transferidos para áreas mais seguras dentro do Paquistão, disse a porta-voz Ishrat Rizvi. A entidade vai reavaliar a situação em seis meses para determinar quando essas pessoas poderão retornar, disse ela.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoONUsegurançafuncionários

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.