Por telefone, Sarkozy e Lula discutem ações para Haiti

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu hoje um telefonema do presidente da França, Nicolas Sarkozy, para discutir ações conjuntas da comunidade internacional no Haiti, atingido na terça-feira por um terremoto de 7 graus na Escala Richter. A informação é do Ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha. Lula, de acordo com ele, mantém na agenda uma visita ao Haiti em fevereiro, prevista antes do terremoto.

LEONÊNCIO NOSSA, Agencia Estado

18 de janeiro de 2010 | 14h15

Padilha relatou que na reunião de hoje de Lula com os ministros que integram o grupo de coordenação política foi orientado que os ministros da Fazenda, Guido Mantega, e do Planejamento, Paulo Bernardo, incorporem o gabinete de crise, chefiado pelo ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general Jorge Armando Félix. A preocupação do governo é garantir recursos para o custeio das operações das Forças Armadas no Haiti, especialmente nos deslocamentos de aviões.

Segundo o ministro não foram discutidos novos repasses de recursos para o país caribenho. O governo já liberou US$ 15 milhões na semana passada. Padilha informou que está previsto o envio de um navio da Marinha para levar mantimentos. O governo brasileiro, segundo ele, está sendo procurado por empresários que se ofereceram para fazer doações aos haitianos. Entre eles, os setores de água potável e alimentos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.