Porcos mortos em rio de Xangai já superam 6.600

Autoridades chinesas recuperaram mais porcos mortos de um rio que fornece água para a cidade de Xangai, o principal centro financeiro do país, elevando o total para mais de 6.600 desde sexta-feira. Fotografias de carcaças inchadas e em estado de putrefação no rio Huangpu preocupam moradores, mas autoridades afirmam que o fornecimento de água continua seguro.

Agência Estado

13 de março de 2013 | 12h20

O surgimento de porcos mortos - que, acredita-se, são de fazendas suínas da área de Jiaxing, na província vizinha de Zhejiang - ocorreu após campanhas da polícia contra a venda de produtos suínos feitos com porcos doentes.

Na quarta-feira, um tribunal de Zhejiang condenou 46 pessoas à prisão por produzir carne a partir de porcos doentes que compraram e mataram entre 2010 e 2012. A agência oficial de notícias Xinhua disse que a polícia da cidade de Wenling havia apreendido 6.218 quilos de carne imprópria para consumo.

Em outra operação, realizada no ano passado, a polícia de Jiaxing descobriu um grupo que comprara e matava porcos doentes. Autoridades da província disseram que a polícia deteve 12 suspeitos e confiscou 12 toneladas de carne de porco.

Na quarta-feira, o governo de Xangai disse que vai continuar a monitorar a qualidade da água e analisar a existência de circovírus suíno. O governo disse também que desinfetou as carcaças antes de enterrar algumas e incinerar outras. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinaporcos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.